Usuário:Patymartinolli

De EmBreveAqui
Ir para: navegação, pesquisa

Reflexões sobre Saskia Sassen[editar]

A cidade dos dias de hoje possui uma grande complexidade e dinamismo e muitas vezes edifícios sólidos não conseguem acompanhar essas interações, eles tornam-se obsoletos, subutilizados. No entanto, não quero dizer que eles devem ser demolidos e darem espaço para o “novo” quero dizer que há uma memória neles e isso deve ser aproveitado. O próprio capitalismo e a arquitetura que provém deles os edificios altos voltados para si próprios, perde-se no cotidiano da cidade, dos habitantes, a cidade necessita do dinamisno social, de simbolos de mémoria, de espaços de não-aprisonamento. Os espaços subutilizados, hoje os Terreins Vagues, abrigam o potencial de se tornarem esses espaços insurgentes onde há vida na cidade voltada para as pessoas. E o arquiteto pode ser parte dessa transformação da cidade impessoal para a cidade pessoal, onde permite fluxos de pessoas, manifestações artisticas, lugares de encontro. Um exemplo citado no texto é em Buenos Aires, com a Kermés urbana onde há uns módulos básicos que permitem a apropriação pelo usúario.

O trabalho da disciplina[editar]

O trabalho realizado nessa disciplina é na área central de BH que representa o setor 9 da Operação Urbana Consorciada ANTÔNIO CARLOS/PEDRO I – LESTE/OESTE: VALE DO ARRUDAS.

Essa OUC impacta o hipercentro (Setor 9 e objeto de estudo dessa disciplina) através das diretrizes de reestruturação dessa área. Na maioria do setor 9 a proposta é pelo modelo de implantação da Quadra Central.


No caso do nosso trabalho, o grupo *Grupo Terrain vague concorda e contesta alguns pontos.

O que concordamos é que os quarteirões escolhidos - tuado entre a Avenida do Contorno e as Ruas da Bahia, Guaicurus e Espírito Santo, os edifícios da antiga escola de engenharia da UFMG e o Edifício Professor Lourenço Baeta Neves estão bem deteriorados e com pouco uso, há alguns edíficios abandanodos e há muitos estacionamentos, sendo que na AV. Santos Dumond há uma estação do MOVE. Com isso, o modelo da Quadra Central atende muito bem nossa proposta, onde prioriza o transporte coletivo, a redução do impacto de trânsito de veículos, a prioridade aos pedestres, o adensamento populacional com uso misto das edificações e também com unidades habitacionais menores e restrições de vagas de garagem. Além de permitir a circulação de pedestres no interior das quadras.

No entanto o que discordamos é que de acordo com o EIV: "Não existem áreas públicas municipais previstas para habitação de interesse social no Setor 9." Justamente na área central com ótima ótima infra-estrutura urbana, especialmente referente a mobilidade urbana da RMBH. Por qu o "filé" da OUC não prevê HIS? Afinal, a cidade é para todos. E o que mais acontece, infelizmente é que os mais pobres são empurrados para a periferia.

Abaixo segue um modelo 3D de como se encontra um pedaço do hipercentro de BH, inclusive há nossa área nessa imagem

Modelo tridimensional.png Legenda.png

Ao longo do semestre fomos capturando inspirações e desenvolvendo o que pensavamos de projeto para a região. Isso pode ser conferido na página do grupo: *Grupo Terrain vague


Diário de bordo[editar]

  • Aula 30/08

Início da disciplina, apresentação do trabalho sobre o Setor 9 da Operação Urbana Consorciada ANTÔNIO CARLOS/PEDRO I – LESTE/OESTE: VALE DO ARRUDAS e modo de entrega definido como esta página na wikipédia (de cada aluno) e também uma página do grupo (Grupo Terrain vague)

  • Aula 02/09

Neste dia foi comentado sobre a sustentabilidade nas cidades. Como exemplo há Copenhagem com a agricutura urbana.

  • Aula 09/09

Houve a discussão sobre a fotografia das cidades, que são imagens esteticamente elaboradas, mas que não permitem capturar a vida de fato existente nas cidades, elas são estaticas de um momento, um lugar. Lemos o texto Terrain Vague, sobre os vazios urbanos, os lugares onde estão vagos, espaços das possiblidades e das memórias, lugares obsoletos na cidade. Como a arquitetura pode “reativar” essas espaços para que eles ainda sejam espaços de todos e de diversas manifestações nas cidades para que ainda reflitam a memória da cidades sem continuarem obsoletos. No caso do trabalho, setor 9 que inclui o hioercentro de BH, há diversos vazios urbanos/espaços da memória. Foi comentado também sobre Plano diretor ilustrado de São Paulo que reflete uma maior preocupação dos as formas de ocupação das paisagens urbanas, com as fachadas ativas por exemplo.

  • Aula 16/09

Foi comentado o exemplo da Kermés Urbana, em Buenos Aires, também citado no testo de Saskia Sassen. Além disso, a importância da atuação tanto na escala micro como na escala macro. A escala micro de projeto não deve ser desvinculada do macro.

  • Aula 23/09

O grupo Terrain Vague discutiu sobre o plano da OUC para o Setor 9 e levantamentos questionamentos sobre ele. Além disso, deveriamos aprofundar mais no conceito de que pretendiamos com a intervenção na área e buscar exemplos inspiradores. Foi falado sobre as Ghost cities na China, lugare construidos para moradia, no entanto, não há identificação da população com aquele lugar, com isso, ninguém vai morar lá. Foi falado também que a arquitetura do século XX criou um tipo médio de cliente/usúrio para atender e como isso de fato não atende bem a ningúem.

  • Aula 07/10

Ao ler o EIV notei que no setor 9 não está previsto a habitação de interesse social, como contra-proposta do Grupo incluímos HIS no nosso projeto. Na orientação do grupo foi falado que justamente sobre o mercado imobiliário e sobre a função social da propriedade

  • Aula 14/10

Na orientação do grupo foi discutido o mapeamento inicial da área da prospota de da intervenção que fizemos e também sobre as obras análoga e também sobre o espaço comum Luiz Estrela aqui em BH.

  • Aula 21/10

Na orientação foi pedido para espacializar a proposta do grupo, através do MyMaps, desenhando onde pretendemos fazer e o que através do mapa do local.

  • Aula 28/10

Feriado: Dia do servidos público

  • Aula 11/11

Nesta aula foi a pré-banca que nos orientou para a complemetnação e melhoria do trabalho, também vimos os trabalhos dos colegas serem apresentados. Como aprofundamento do trabalho nos foi pedido detalhando dos corta-caminhos dentro das quadras e a localização destes no mapa. Também foi pedido para que fizessemos diagramas das propostas.

  • Aula 25/11

Útima orientação do grupo e definição da entrega final da disciplina

  • Entrega 16/12

Entrega final online através do trabalho. Através do link individual e do link do grupo