Informações do modelo de ocupação

De EmBreveAqui
Ir para: navegação, pesquisa

Este é um resumo das informações do Plano Urbanístico da Operação Urbana Consorciada Antônio Carlos/Pedro I - Leste-Oeste / Vale do Arrudas [1] disponibilizado pela PBH.

O Plano Urbanístico da Operação Urbana Consorciada Antônio Carlos/Pedro I - Leste/Oeste / Vale do Arrudas propõe uma reestruturação urbana através da adoção de novos padrões de ocupação, do incentivo e fortalecimento de centralidades e da implantação de intervenções estratégicas em cada Setor: Projetos Âncora. Foram adotados seis modelos de ocupação, quatro para a área preferencial para adensamento e dois para a zona de transição, com diferentes parâmetros de uso e ocupação do solo, a saber:

Área preferencial para adensamento:

  • Quadra Praça,
  • Quadra Galeria,
  • Quadra Central,
  • Quadra de Desenvolvimento.

Zona de transição:

  • Quadra Preservação,
  • Quadra Bairro.

Os novos padrões de ocupação pretendem, dentre outros objetivos, melhorar a relação das edificações com a rua e demais espaços públicos; aumentar a oferta de habitações voltadas para população que utiliza predominantemente o transporte coletivo e modos não motorizados de deslocamento; garantir a priorização do pedestre; reduzir os impactos gerados pelo aumento do tráfego de veículos privados derivados do adensamento populacional; melhorar o acesso a comércio e serviços; ampliar a oferta de espaços de uso público; melhorar a qualidade ambiental da área, e melhorar a articulação dos bairros com o sistema de transporte público instalado no corredor viário principal.

As centralidades tem o objetivo de disseminar polos de atendimento à população com características locais e intermediárias ao longo dos eixos viários. Sendo assim, as vias demarcadas como centralidades receberão intervenções no espaço público, e parâmetros especiais para os modelos de ocupação, com o objetivo de estimular a oferta de serviços e trazer mais dinâmica para as ruas. O conjunto de intervenções, denominado Projeto Âncora tem o objetivo de promover o desenvolvimento de cada região da operação urbana fortalecendo algumas características dos bairros. Estas intervenções traduzem objetivos conceituais e representam a estrutura propulsora para o desenvolvimento da OUC em cada região, com diversos desdobramentos e ramificações dentro de sua área de influência. É importante ressaltar que a aprovação de projetos nas quadras de adensamento (Quadra Praça, Quadra Galeria, Quadra Central e Quadra de Desenvolvimento) deverá ser precedida pela emissão de diretrizes preliminares de projeto.

Essas diretrizes serão constituídas por duas orientações em escalas distintas:

  • Diretrizes na escala da quadra, específicas para cada quadra de adensamento, que serão definidas em uma complementação posterior desse plano urbanístico, conforme padrão de detalhamento adotado pelo Plano Urbanístico da Operação Urbana Consorciada do Corredor Antônio Carlos/Pedro I. Essas diretrizes abordarão, entre outros aspectos, questões relativas à implantação do projeto e às articulações urbanas que deverão ser viabilizadas;

• Diretrizes na escala do empreendimento, a serem definidas pelo Grupo Gestor da Operação Urbana Consorciada.


A seguir, serão detalhados os objetivos, diretrizes e parâmetros de uso e ocupação do solo de cada um dos modelos de ocupação definidos para a Operação Urbana Consorciada Antônio Carlos/Pedro I - Leste/Oeste / Vale do Arrudas, e mais a diante, estarão descritas as propostas para cada Setor da OUC que complementam a proposta de reestruturação.